Ser aprovado em um processo seletivo é a principal forma de conseguir uma carreira promissora no Agronegócio, seja o seu primeiro emprego ou uma recolocação para uma vaga melhor.

Imagine que você distribuiu seu currículo para várias empresas que atuam no Agronegócio, ou então que enviou seu currículo apenas para a empresa dos seus sonhos.

Você olha a cada minuto para o telefone que não toca, ou verifica a caixa de entrada de e-mails que não tem novidade.

Se você está se (re)colocando no mercado de trabalho e está passando por essa situação, está entre a maioria das pessoas que busca oportunidade de trabalho e não recebe sequer um convite ao menos uma entrevista.

As empresas que fazem parte do Agronegócio, seja fornecendo insumos e serviços, atuando na produção agropecuária ou no beneficiamento, comercialização e distribuição dos produtos, estão cada vez mais a procura de profissionais que ofereçam conhecimento para poder acompanhar a evolução tecnológica e técnica que têm passado.

O tempo da mão-de-obra já é coisa do passado, a busca agora é por profissionais que solucionem os problemas que ocorrem no campo.

Como diretor de uma empresa de recrutamento para empresas do Agronegócio, quero contar para quem está em busca de uma nova (ou melhor) oportunidade de trabalho como funcionam as etapas do processo seletivo.

Isso porque quanto mais um profissional conhece a forma como os recrutadores trabalham, mais ele pode se preparar e aumentar as chances de ser selecionado.

O processo seletivo: onde tudo começa?

início processo seletivo agronegócio

Para a empresa

Começa com abertura da vaga pela empresa, normalmente os quesitos para o preenchimento desta vaga estão formalizados na descrição de cargos.

Em seguida, o departamento de recursos humanos realiza uma busca pelo perfil ideal através de seu banco de currículos e caso não encontre, realiza o anúncio da vaga no mercado.

Esse anúncio pode ser aberto (quando há identificação da empresa contratante) ou fechado (quando não há identificação da empresa que está contratando).

Para o candidato

A primeira coisa que o candidato a uma vaga para empresa do agronegócio precisa entender é que ele não se encaixa em toda e qualquer vaga, visto que suas competências (falarei adiante sobre isso) nem sempre se encaixam no perfil da vaga e/ou cultura/valores da empresa.

Isto definido é necessário que o candidato envie currículo para as empresas do Agronegócio que pretende trabalhar (caso tenham estratégias de recebimento contínuo ou banco de currículos)

E aí começam as dificuldades. A primeira: o que devo colocar em meu currículo?

Seu currículo é o seu cartão de visitas

currículo processo seletivo agronegócio

Vários pesquisadores chegaram à conclusão que entre 60 e 80% dos currículos recebidos para recrutamento nas empresas vão para o lixo.

O percentual exato não é relevante neste momento, mas sim entender que a sua grande maioria dos currículos sequer é vista pelos recrutadores das empresas do Agronegócio.

Por isso, muita atenção para não cometer os erros básicos que fazem com que você sequer seja chamado para participar do processo seletivo, como por exemplo:

1. Conheça sobre a empresa e a vaga aberta

Além de servir para conhecer mais sobre a empresa/vaga, a pesquisa serve para que faça currículo de forma customizada, ou seja, direcionada especificamente para aquela vaga e para aquela empresa.

Isso contribui para que seu “cartão de visitas” não engrosse as estatísticas de currículos descartados.

Um outro ponto importante é em relação ao envio do currículo por e-mail.

Nunca envie seu currículo para uma lista de e-mails no campo “Para”. Envie cada e-mail separadamente, com uma mensagem personalizada, pois assim a empresa entenderá que você de fato está focado na vaga aberta.

Na elaboração do seu currículo, utilize uma estrutura básica e enxuta, pois ao observar um currículo o recrutador quer saber apenas o que de fato interessa.

Ficar “floreando” suas informações não agrega em nada, por isso tente elaborar seu currículo com a seguinte estrutura:

– Identificação e formas de contato
– Formação
– Experiência

2. Dê atenção aos dados de identificação e contato

Comece seu currículo colocando seus dados de identificação, principalmente os de contato, como nome completo, endereço, estado civil e filhos (caso tenha).

Não se esqueça de colocar um número de telefone (que você atenda) e seu e-mail. De nada adiantará que o recrutador goste do seu currículo se ele tiver que ir até a sua casa para lhe convidar para o processo seletivo.

Se você criou um e-mail engraçadinho quando tinha 12 anos (porque precisava dele para o usar o finado MSN), faça um favor a si mesmo e crie um e-mail do tipo nome-sobrenome em alguma empresa provedora de e-mails.

Não é preciso colocar os números de RG e CPF no seu currículo. As categorias de habilitação para condução de veículos podem ser importantes para vagas em que o deslocamento faz parte da função a ser desempenhada.

Inclua uma foto no currículo apenas se a empresa exigir e se for um diferencial para a vaga. Neste caso, a foto deve ser sóbria, como se fosse em formato 3×4.

Mas você não precisa aparecer com “cara fechada”. Um sorriso discreto transmite simpatia e carisma.

3. Organize suas informações sobre formação e experiência profissional

Descreva sucintamente sua formação acadêmica, com o nome do curso, da instituição e quando se formou (ou irá se formar).

Em relação a experiência profissional, coloque em ordem cronológica decrescente (do mais atual para o mais antigo), se possível apenas os três últimos empregos/estágios, ou os mais relevantes (caso tenha intervalo de tempo entre os trabalhos, na entrevista você será questionado sobre isso).

Lembre-se: o ideal é que o seu currículo tenha apenas uma única página.

4. Outros itens importantes que você deve prestar atenção

– Se necessário, inclua na parte das informações cadastrais se tem disponibilidade de mudança de cidade e/ou se tem disponibilidade para início imediato.
– Use o corretor de textos para que seu currículo NUNCA apresente erros gramaticais.
– Nunca use gírias.
– Caso seja solicitado no anúncio da vaga, informe se tem ou não fluência no idioma pedido. Caso contrário, não há necessidade de incluir essa informação.
– Em caso de envio por e-mail, envie o arquivo do currículo no formato PDF para evitar erros de formatação ou de desconfiguração da estrutura do currículo.
– Se não tiver explícito na descrição da vaga, deixe de fora a informação sobre pretensão salarial. Deixe essa informação para entrevista.
– Saiba que, apesar de não ser critério legal de descarte de currículo, suas redes sociais provavelmente serão checadas. Por isso, atenção redobrada no que você curtiu ou compartilhou em seus perfis.
– Inclua informações sobre trabalhos voluntários realizados. Este tipo de experiência tem sido muito valorizada pelas empresas do Agronegócio.

Atenção: nunca minta sobre informações colocadas no currículo, pois elas serão chegadas e confirmadas na entrevista.
 

Modelos de currículo para profissionais do Agronegócio
Modelos de currículo para profissionais do Agronegócio

 

Fui convidado para o processo seletivo. E agora?

processo seletivo agronegócio

Ufa! Seu currículo não engrossou as estatísticas de descarte!

Receber um telefonema ou e-mail agendando uma entrevista é uma sensação que ao mesmo tempo te faz se sentir mais motivado e te traz preocupações sobre como será o processo seletivo que pode (e vai) decidir sobre sua contratação (ou não) para trabalhar na empresa que você gostaria.

Atualmente, poucas empresas têm tentado sair do lugar comum em relação às etapas e formas de selecionar pessoas.

Ou seja, ainda predomina o processo seletivo tradicional.

Mas apesar disso, os recrutadores estão cada vez mais atentos a detalhes dentro desse processo seletivo que ajudam a escolher entre os (muitos) candidatos à vaga.

As etapas mais usuais são:
– Entrevista
– Provas
– Dinâmicas
– Testes
– Finalização do processo

entrevista processo seletivo agronegócio

A entrevista

Este é o momento onde o entrevistador tem o primeiro contato pessoal com você.

O objetivo do recrutador na entrevista é conhecer um pouco mais sobre você e confirmar as informações que colocou em seu currículo.

Esteja preparado para falar de seus últimos empregos ou estágios, questionamentos sobre o tempo em que ficou na empresa, quais realizações, por que trocou (ou quer trocar) de empresa, sobre seu salário, realizações relevantes em relação aos desafios, objetivos e metas.

Evite falar mal dos seus antigos empregadores.

Existem formas distintas de se posicionar em determinadas situações, como por exemplo: ao invés de dizer que “saiu porque seu antigo chefe era muito centralizador, não aceitava opiniões e que só valia o que ele queria“, você pode substituir tudo isso por apenas “questões de divergências de posicionamento“.

Além da confirmação sobre as informações colocadas no currículo (pessoais, formação, experiência, entre outras) e sobre acontecimentos em seus empregos anteriores, o entrevistador, a medida que vai “quebrando o gelo” na conversa, tem uma lista de perguntas sobre você.

Apesar de não ter uma receita pronta sobre o que responder, reflita bastante antes de uma entrevista de emprego (ou de estágio) sobre:

– A sua vida, em relação a vida familiar e profissional
– Seus pontos fortes e pontos de melhorias
– Quais são seus objetivos de curto, médio e longo prazo
– Por que quer trabalhar nessa empresa e o que você sabe sobre ela
– Por que você deve ser contratado

Por favor: perfeccionismo é um clichê utilizado por candidatos sem-noção que demostram não possuir autoconhecimento.

Seja o honesto sobre seus pontos fracos, e deixe claro quais estratégias você tem adotado para melhora-los.

Além das questões citadas, muitas outras podem ser feitas, portanto esteja preparado para que sua entrevista seja breve demais.

Isso aliás é um questionamento que você com certeza fará.

Em relação a duração da entrevista não existe uma regra que delimite. Porém, uma entrevista curta pode ser (e na maioria das vezes é) sinal de que você não gerou interesse para a contratação.

Entenda que falar demais para que a entrevista demore é interessante, mas a quantidade de questionamentos e a interação do selecionador deve ser observada por você.

Atualmente, a entrevista permite que durante o processo seletivo não somente o entrevistador fale sobre a vaga e sobre a empresa, mas também que o entrevistado questione sobre a vaga, e inclusive fique à vontade para que, no momento certo, você possa questionar sobre o salário pago.

Isso se o entrevistador já não tenha comentado.

Obviamente que essa não deve ser a sua primeira pergunta, pois demonstra que você não tem pretensões nenhuma em relação a perspectiva de longo prazo na empresa e só está pensando no dinheiro.

Outras dicas importantes:
– Chegue pelo menos 30 minutos antes do horário marcado, para que possa se ambientar e se arrumar se necessário.
– Seja conservador no estilo de roupa escolhida, nessa situação é melhor pecar pelo zelo do que pelo excesso.
– Tenha em mente que o que o entrevistador está de olho em sua linguagem não-verbal, e a forma como você se posiciona na poltrona, movimenta as pernas, braços, olhos, entre outros, vai dizer mais do que suas palavras. Por isso as regras de aprovação em processo seletivo nem sempre são garantia de sucesso.

A partir da entrevista, as etapas seguintes podem ser eliminatórias ou classificatórias, dependendo do tamanho e do formato do processo seletivo.

As provas

Após o término da entrevista, os candidatos que forem aprovados passarão as próximas etapas do processo de seleção, normalmente em dias pré-agendados, visto que o processo de entrevistas não é um processo rápido, dependendo da quantidade de candidatos à vaga.

A utilização de provas vai depender muito do tipo de vaga ofertada e pode ser aplicada no mesmo período que as dinâmicas de grupo ou até mesmo em etapa posterior.

Dependendo da vaga, podem ser aplicadas provas de conhecimentos gerais e/ou específicos, e até mesmo prova prática com o objetivo de conhecer as habilidades do candidato.

Em algumas situações o estilo de prova pode ser em forma de estudo de caso, onde o candidato precisa dar uma solução a uma determinada situação apresentada.

As dinâmicas de grupo

As dinâmicas, ao contrário da entrevista e da prova que visam saber sobre seu conhecimento e suas habilidades, buscam gerar informações sobre o seu comportamento.

Para cada competência buscada existem tipos de dinâmicas que permitem que aflore (ou não) o comportamento ideal para a vaga.

Por exemplo, se para determinado cargo as competências buscadas, entre outras, são proatividade e bom relacionamento interpessoal, uma simples dinâmica onde vários grupos de candidatos devam montar um único objeto e cada grupo possua uma parte pode demonstrar como cada candidato se porta dentro do grupo e a atitude para resolver o problema com outros grupos.

Normalmente no processo de recrutamento, ao divulgar uma vaga, as empresas costumam colocar as competências que o cargo requer, fique atento a isso!

Os testes

Dependendo da vaga oferecida, do porte da empresa do Agronegócio, e dos valores disponibilizados para a seleção, muitos processos terminam nas dinâmicas e não realizam testes.

Apesar disso, a etapa de aplicação de testes não deixa de ser importante.

Se você chegou até essa etapa, provavelmente estará concorrendo com pouquíssimos candidatos e as chances de você ser contratado se dará nos detalhes.

Cada selecionador tem preferência por um tipo de teste, mas os mais usuais são:

Testes psicológicos e de personalidade: devem ser aplicados apenas por profissionais com formação e registro no conselho de psicologia.

O grande objetivo é conhecer se de fato o candidato tem aptidões necessárias para preenchimento da vaga.

Entre os testes psicológicos e de personalidade mais utilizados estão:
– QUATI
– Palográfico
– Wartegg
– Zulliger
– Atenção Concentrada (AC)
– PMK

Testes psicométricos: diferente das avaliações psicológicas, estes visam conhecer o potencial do candidato em relação a tarefas a serem executadas, como uma medida de desempenho.

Entre os testes psicométricos mais utilizados nos processos estão:
PDA
– DISC

Após todas essas etapas, se você receber algum contato da empresa do Agronegócio que realizou o processo seletivo, provavelmente será para informar que está contratado.

Nesse caso, parabéns!

Nem todas ligam para informar que não foi aprovado, mas caso isso aconteça, fique tranquilo!

Você está no caminho certo e em breve será aprovado em um processo seletivo na área de Agronegócio.

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

Modelos de currículo para profissionais do Agronegócio
Modelos de currículo para profissionais do Agronegócio