Gestão para Resultados no Agronegócio: tome melhores decisões

Gestão para Resultados no Agronegócio

Gestão para Resultados é uma forma de administrar uma empresa rural que visa priorizar os resultados em todas as ações de todos profissionais que nela atuam, objetivando a elevação do desempenho organizacional.

A gestão orientada para resultados é um modelo de administração de empresas rurais que exige bastante comprometimento da equipe, especialmente por não ser voltado para o número de horas trabalhadas e, sim, ao empenho para se atingir metas prestabelecidas.

Ao contrário de uma gestão tradicional, focada em processos, a gestão por resultados enfatiza os objetivos a serem alcançados e os valores da organização.

O conceito desse tipo de gerenciamento é realmente priorizar os resultados em todas as ações, com o objetivo de otimizar o desempenho da empresa rural, independentemente de seu porte ou de sua área de atuação.

Muitos produtores rurais e profissionais do Agronegócio ainda não colocam essa estratégia em prática, pois ainda não entendem completamente como ela funciona, e como utilizá-la.

Se este é o seu caso, então continue lendo esse artigo e descubra:

  1. O que é Gestão para Resultados
  2. Vantagens da Gestão para Resultados no Agronegócio
  3. Como implantar a Gestão para Resultados no Agronegócio
  4. OKR, KPI e metas: transformando objetivos em resultados

O que é a gestão para resultados?

Gestão para Resultados no Agronegócio

Diferente do modelo mais conhecido de gestão, que foca nos processos, a gestão para resultados se direciona para o cumprimento de objetivos e metas.

Estes objetivos e metas, por sua vez, são baseados nos valores definidos pela empresa rural.

A gestão por resultados tem como fundamento o comprometimento real da equipe e o empenho de todos, inclusive dos gestores, para o cumprimento da meta.

Á primeira vista você pode achar que objetivos e metas são palavras sinônimas, mas não são.

Objetivo é a descrição daquilo que se pretende alcançar.

Meta é a definição em termos quantitativos, e com um prazo determinado, do objetivo a ser alcançado.

Em resumo, META = OBJETIVO + NÚMERO (MÉTRICA) + DATA (PRAZO)

A gestão para resultados no Agronegócio nada mais é do que a criação de metas e objetivos específicos dentro do Agronegócio, para que todos os colaboradores e demais envolvidos possam trabalhar para atingi-los.

A gestão para resultados no Agronegócio é importante para empreendimentos de diferentes portes.

Ela é válida tanto para quem possui uma propriedade rural, como também para quem realiza a revenda de insumos, e outros negócios relacionados.

O conceito de gestão de resultados começou a se popularizar na década de 50, quando Peter Drucker, considerado um dos maiores nomes da Administração, falou sobre Management by Objectives (MBO, ou Gestão para resultados em português) em seu livro The Practice of Management.

Para ele, esse método auxilia os gestores, líderes e demais colaboradores consigam atuar de forma otimizada e organizada, sabendo exatamente quais os resultados que precisam gerar.

Por meio desse método, é possível não só estabelecer metas a serem alcançadas, mas também traçar um plano para elas.

Um dos grandes problemas que acaba afetando a produtividade das empresas rurais é que muitos empreendedores apenas produzem ou tocam seus negócios sem ter um objetivo estabelecido.

Isso acaba fazendo com que o negócio não atinja o seu potencial máximo, pois como não existe um plano a ser seguido. Consequentemente o produtor rural não consegue avançar, e acaba acreditando que o problema é o mercado, a economia ou o clima.

A gestão para resultados no Agronegócio é uma forma de organizar essa rotina dentro do empreendimento rural, de modo que cada trabalhador saiba exatamente que objetivos devem ser alcançados.

Assim, todos podem trabalhar de forma conjunta para otimizar operações e processos, de modo que as metas sejam atingidas.

Vantagens da gestão para resultados no Agronegócio

Gestão para Resultados no Agronegócio

Entre as principais vantagens em se utilizar a gestão para resultados no Agronegócio, podemos citar:

  • Os resultados são a referência-chave para todo o processo de sua gestão;
  • Todos são responsáveis pelos resultados obtidos e não obtidos (oportunidades perdidas);
  • Todos os setores devem ser estimulados a caminharem juntos para os mesmos resultados, cada um contribuindo com as suas atribuições;
  • A ênfase não está nos processos e procedimentos, e sim nos resultados obtidos;
  • Motivação dos colaboradores: ao se envolverem em todo o processo de definição de objetivos, eles reconhecem o valor de seu trabalho e se engajam mais;
  • Melhorias na comunicação e coordenação: há uma aproximação natural dos líderes e seus liderados, com troca de informações, feedbacks e colaboração, o que contribui com a harmonia organizacional;
  • Mais clareza de objetivos: os colaboradores tendem a ter um compromisso maior com os objetivos que estabeleceram para si próprios do que aqueles que lhes são impostos por outra pessoa. Além disso, a clareza de objetivos contribui com a sensação de pertencimento e, consequentemente, com a autoestima dos profissionais;
  • Melhorias na produtividade: colaboradores mais engajados, com mais informações e com os objetivos bem claros, produzem mais e melhor.

Como implantar a Gestão para Resultados no Agronegócio

Gestão para Resultados no Agronegócio

Implantar a Gestão para Resultados no Agronegócio não é uma tarefa extremamente complexa como muitos pensam.

Na verdade, com alguns passos simples você poderá colocá-la em prática no seu empreendimento e, assim, ver a produtividade dele aumentar gradativamente:

 

1. Revise os objetivos e metas da sua empresa rural

Procure fazer uma revisão completa dos objetivos e metas do seu Agronegócio. O ideal é que você sente com seus gestores e líderes, afim de ter uma visão mais clara desses itens.

Veja qual é a estratégia atual do seu Agronegócio, e como ela está impactando na produtividade dele.

Fazer essa identificação é fundamental, pois, é a partir dela que você conseguirá avaliar quais são os processos obsoletos, bem como aqueles que tem gerado bons resultados.

 

2. Defina os objetivos de cada equipe e dos próprios colaboradores

Uma vez que você tenha avaliado a estratégia e objetivos que estavam sendo aplicados no seu empreendimento rural, é a hora de estabelecer as metas, com base nas informações que você obteve.

Para que a Gestão para Resultados no Agronegócio seja eficaz, é necessário separar esses objetivos.

Primeiramente você deve estabelecer os gerais para a empresa rural como um todo, em seguida os de cada equipe e por fim aqueles que devem ser alcançados por cada colaborador.

Dessa forma, todos saberão exatamente quais são os resultados esperados em cada nível.

Além de determinar esses objetivos, você também deve estabelecer prazos para que eles sejam cumpridos.

O ideal é que você sente com todos os líderes e gestores e repasse essas informações, para que todos possam trabalhar de forma alinhada.

 

3. Monitoramento

Para que a Gestão para Resultados no Agronegócio funcione de verdade, não basta apenas delimitar quais são os objetivos, é necessário fazer o monitoramento dos processos.

Dessa forma, é possível verificar quais operações estão avançando, e quais precisam de uma reformulação para que as metas sejam alcançadas dentro do prazo.

Para isso, você deve não só acompanhar o dia-a-dia do seu Agronegócio, mas, também realizar reuniões periódicas com seus gestores.

Assim, eles poderão te apresentar o panorama geral sobre como está o processo de cada equipe/setor.

 

4. Avaliação de desempenho

Nessa etapa da Gestão para Resultados no Agronegócio, você deve fazer uma avaliação do desempenho de todos os envolvidos em seu Agronegócio.

Você deve avaliar o cumprimento ou não das metas, não só de cada equipe, mas, de cada colaborador de forma individual.

Essa avaliação te ajudará a identificar quais foram as dificuldades nos processos, principalmente naqueles que não tiveram as metas atingidas.

Assim, você pode buscar melhorias para que, no futuro, os resultados almejados sejam alcançados.

 

5. Recompensa

Para que essa estratégia sempre gere bons resultados, os envolvidos precisam ser recompensados por conta dos objetivos alcançados.

Esse tipo de premiação servirá de estimulo para que todos os colaboradores continuem a trabalhar de forma conjunta, visando o crescimento constante da empresa.

As recompensas também são uma forma de mediar possíveis tensões e conflitos que possam ter ocorrido ao longo do caminho.

Por meio das recompensas, os funcionários irão se sentir mais valorizados e constantemente motivados para dar sempre o melhor pelo negócio.

OKR, KPI e metas: transformando objetivos em resultados

Gestão para Resultados no Agronegócio

A partir do momento que uma meta é definida, é possível avaliar o quão distante se encontra da meta e definir estratégias para alcançá-la.

O estabelecimento de metas, portanto, é fundamental para o sucesso das empresas rurais e também o ponto de partida para os controles.

Os controles são instrumentos de medida dos resultados-chave e do acompanhamento das metas.

Logo, é possível concluir por meio da definição de controles, que não há controle sem metas.

O controle de qualidade de semeadura, por exemplo, pode ser realizado por meio de uma planilha que contém a população real de plantas por hectare em cada talhão, e a diferença com a população de plantas desejada por hectare.

O controle de qualidade de colheita poder ser realizado com a estimativa das perdas na pré-colheita, na plataforma e na trilha, para cada talhão, e a meta dos valores aceitáveis para cada uma destas perdas.

Só é possível tomar decisões técnicas quando se dispõe de dados para serem analisados.

A coleta de dados por meio dos controles também permite acompanhar o histórico de operações na empresa rural e a evolução destes indicadores.

O histórico dos controles permite descobrir, por exemplo, qual foi a evolução da produtividade ao longo dos anos, se os teores de fósforo do solo aumentaram ou diminuíram em um determinado período, ou se o número de aplicações de inseticidas vem aumentando ou diminuindo.

Em outras palavras, são os controles que possibilitam quantificar a magnitude do sucesso das empresas rurais.

Por isso, não podemos falar de Gestão para Resultados no Agronegócio sem mencionar as metas, KPIs e OKR.

Todas essas ferramentas são integradas ao conceito, e visam auxiliar o empreendedor rural a realmente transformar os objetos estabelecidos em resultados.

O OKR e o KPI são duas estratégias para o estabelecimento e realização de metas.

Ambos irão auxiliar não só a entender quais são os objetivos do seu negócio, mas, também, que eles se tornem resultados palpáveis.

 

OKR (Objectives and Key Results)

OKR (Objetivos e Resultados-Chave) é um sistema de definição e gestão de metas utilizado por empresas como Google, LinkedIn e Nubank, e, como o próprio nome já diz, tem tudo a ver com estabelecer objetivos e transformá-los em resultados-chave.

De maneira simplificada, um objetivo lhe diz para onde ir, e um resultado-chave permitirá que você saiba se você está lá ou não.

Ao trabalhar com a OKR, você terá que se fazer duas perguntas:

1. Onde sua empresa rural quer chegar?

2. Como você vai saber que sua empresa chegou lá?

Principais conceitos do OKR:

Objetivo: é (ou são) o(s) grande(s) anseio(s) do empreendedor para sua empresa rural. Ex: reduzir custos.

Indicador: é a métrica sobre como o objetivo vai ser mensurado. É preciso ter uma métrica bem definida, que possa ser calculada de forma clara por todos os envolvidos. Ex: (para o objetivo de reduzir custos): custos com insumos, custos com logística, custos das operações agrícolas.

Meta: é o valor a ser atingido ao final de um período. Ex: reduzir em 10% o custo total da soja na safra 2018/2019.

Principais características dos OKRs:

  • Key Results devem ser métricas e não tarefas;
  • O número de objetivos é limitado a 4 ou 5 (o que força a priorização) e baseado em resultados;
  • 60% dos objetivos devem ser definidos pelo nível hierárquico mais baixo.

 

KPI (Key Performance Indicator)

KPI é a sigla em inglês para Indicadores-Chave de Desempenho, que são métricas que servem para que os gestores saibam como os processos internos estão desempenhando.

Para uma empresa rural estabelecer quais são os seus KPIs, ela deve realizar uma análise do que entrega e de como isso pode ser medido.

 

Diferenças entre OKR e KPI

OKRs focam nas metas que devem ser alcançadas, enquanto KPIs são a forma de medir a performance de indicadores.

Os OKRs definem os critérios macro para que o negócio funcione e atinja suas metas, e os KPIs podem ser a forma de medir o que deve ser melhorado, buscando manter um nível de eficácia dentro de cada área.

Exemplos:

OKR: Perdas na colheita de soja de no máximo 01 saco/ha na safra 2018/2019.
KPI: Perdas na colheita (em sacos/ha).

OKR: Custo de produção da soja de R$ 50,00/saco na safra 2018/2019.
KPI: Custo de produção (em R$/saco).

OKR: Produtividade na cultura da soja de 70 sacos/ha na safra 2018/2019.
KPI: Produtividade (em sacos/ha).

 

O risco das métricas de vaidade

Hoje em dia, não se pode falar sobre metas sem mencionar as métricas de vaidade – que podem ser ótimas para o ego, mas péssimas para os negócios.

São relatórios que ficam lindos em um press release, mas que, na prática, não te ajudam a criar um plano realmente efetivo.

Aqui a regra é simples: se uma métrica não auxilia em nenhuma tomada de decisão, não faz sentido medi-la!

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS

Entre para nossa lista e receba nossos conteúdos

Instituto Agro
administrator
Grupo de especialistas que elabora conteúdo online para que profissionais de excelência do Agronegócio tomem melhores decisões no seu dia-a-dia e conquistem melhores resultados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *