Nosso país atualmente passa por mais uma crise política e econômica, como tantas outras que já passaram e que, infelizmente, ainda irão acontecer no Brasil.

Nesse contexto de crise política e de recessão econômica, os índices de desemprego têm batido tristes recordes.

Estima-se que mais de 10 milhões de pessoas estejam desempregadas enquanto você lê este artigo.

Com tanta gente desempregada assim, é bem provável que você conheça alguém que esteja nesta situação.

Talvez até mesmo você esteja à procura de um emprego ou de uma colocação melhor no mercado de trabalho.

Entretanto, ao contrário dos outros setores da economia brasileira, o Agronegócio parece ter vida própria, e não só tem se mostrado imune às crises do país, como também tem sido o setor responsável por garantir o pouco de estabilidade econômica que sobrou no Brasil.

Mesmo em um ano particularmente difícil, o Agronegócio brasileiro irá produzir novamente safras recordes, com crescimento da maioria das atividades agropecuárias.

E esse crescimento tem sido acompanhado de novas vagas e novos postos de trabalho no Agronegócio.

Recentemente, tivemos a oportunidade de realizar um processo de seleção para uma empresa de consultoria, em que mais de 600 engenheiros agrônomos, de várias regiões do país, se candidataram a três vagas de consultor.

Em um processo de seleção com mais de 200 candidatos por vaga, apenas duas, das três vagas, foram preenchidas.

E essa tem sido uma queixa recorrente dos recrutadores para empresas do Agronegócio: processos de seleção caros e demorados, devido ao número cada vez maior de candidatos, que têm como resultado final o não-preenchimento de todas as vagas.

Já os gestores e empresários do Agronegócio reclamam que o crescimento de muitas empresas rurais tem sido limitado pela falta de profissionais para realizar a expansão dos negócios.

Outra reclamação comum dos gestores do Agronegócio é alta rotatividade (alto índice de turnover) entre os recém-contratados, que não conseguem entregar os resultados esperados pela empresa rural.

Veja como estamos diante de um paradoxo: em um ano em que a economia do país está em recessão e que mais de 10 milhões de pessoas estão à procura de um emprego, temos um setor da economia em expansão, com o crescimento limitado, entre outros fatores, pelo não-preenchimento das vagas de emprego.

Ora, não precisa ser nenhum gênio para perceber que algo está errado.

E o problema é que faltam profissionais de excelência no Agronegócio.

Para entender melhor sobre esse problema e para descobrir a importância de se tornar um profissional de excelência do Agronegócio, continue lendo este artigo para saber mais sobre:

  1. O que é excelência
  2. As características dos profissionais de excelência do Agronegócio
  3. Como se tornar um profissional de excelência do Agronegócio

O que é excelência

profissional de excelência

Antes de explicar o que é a excelência e o que define um profissional de excelência no Agronegócio, gostaria de discutir com você sobre o profissional medíocre.

Atualmente, chamar um profissional de medíocre possui uma forte conotação pejorativa, quase um xingamento, que inevitavelmente irá causar ofensa à pessoa que recebeu o adjetivo.

Mas se você procurar a palavra “medíocre” em qualquer dicionário, irá encontrar um resultado parecido com esse:

Medíocre: de qualidade média, comum, mediano, passável.

Repare que o significado de “medíocre” em si não contém conotação depreciativa, difamatória ou insultuosa.

O profissional medíocre é aquele profissional comum, igual a maioria dos profissionais, que faz apenas aquilo que lhe é pedido, que faz o seu trabalho básico.

Podemos afirmar então, sem risco de ofender alguém e sem risco de errar, que os profissionais medíocres são maioria entre os profissionais do Agronegócio.

Mas por que então chamar um profissional de medíocre se tornou um insulto?

Porque o comum não nos atrai. Nenhuma empresa quer o profissional comum.

As empresas rurais estão envolvidas com a busca pela excelência em seus processos, então seria natural que buscasse a excelência entre seus profissionais também.

Mas então, o que é excelência?

No dicionário, temos que:

Excelência: qualidade do que é excelente; qualidade muito superior.

Uma outra forma de chegar ao mesmo resultado é procurar a palavra “excelente” no dicionário:

Excelente: que é superior ou muito bom no seu gênero; que se sobressai entre os melhores.

Logo, se o profissional medíocre é o profissional comum, o profissional de excelência no Agronegócio é o profissional incomum, que está acima da média e que se destaca em relação aos demais profissionais.

Note que não se trata de buscar ser o melhor ou de buscar a perfeição.

Trata-se apenas de ser um profissional diferenciado, um profissional acima da média, o que é muito mais fácil de alcançar, já que só existe uma vaga para o melhor profissional da empresa rural, já que, por definição, o melhor da empresa rural só pode ser um.

O que significa então que todas as outras vagas podem ser preenchidas por profissionais de excelência.

Neste momento, você deve estar se perguntando então o que é preciso para ser um profissional de excelência no Agronegócio.

Curso de Manejo da Fertilidade do Solo para Altas Produtividades
Curso de Manejo da Fertilidade do Solo para Altas Produtividades

As características dos profissionais de excelência do Agronegócio

Profissional de excelência

Primeiro é preciso esclarecer que não existe uma fórmula mágica para o sucesso profissional, ou um modelo que poderá ser seguido por todos os profissionais, até porque a excelência profissional depende da convergência de um conjunto de variáveis cognitivas, motivacionais e de personalidade, que irão variar de pessoa para pessoa.

Mas observando os processos de seleção das empresas do Agronegócio e os profissionais que conquistaram o tão almejado sucesso profissional, é possível perceber qualidades em comum que contribuem para a excelência profissional no Agronegócio.

Vamos a elas.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio solucionam problemas

Não se engane: quando um gestor procura preencher uma vaga, a primeira coisa que ele tem em mente é “se esse profissional tem capacidade de resolver os problemas que enfrentamos na nossa empresa rural“.

A capacidade de solucionar problemas complexos, corrigir organizações problemáticas e gerenciar com sucesso as crises é uma habilidade altamente valorizada no mundo corporativo.

Os solucionadores de problemas não têm medo de fazer perguntas, dão atenção aos detalhes, tiram conclusões a partir de dados e análises, se preocupam em achar as causas do problema – e não os culpados – e têm muita paciência.

Enquanto a maioria dos profissionais do Agronegócio são especialistas em criar problemas, os profissionais de excelência se destacam facilmente por criar soluções.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio são proativos

Proatividade é sinônimo de iniciativa. Profissionais proativos são aqueles que agem antecipadamente, evitando ou resolvendo situações e/ou problemas antes mesmo que eles aconteçam.

São profissionais que não precisam esperar as ordens do supervisor para executar tarefas que devem ser realizadas, e que desempenham essas tarefas de maneiras diferentes para obter resultados mais eficientes.

O profissional proativo é aquele que vai além, e se destaca demais porque o comum é que os profissionais sejam apenas reativos, ou seja, irão reagir somente após um acontecimento ou uma ordem, e farão apenas o que foi ordenado.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio comunicam com clareza

Comunicação é o processo pelo qual partilhamos informações, transmitimos mensagens, fazemos questionamentos e expressamos nossos sentimentos e pensamentos.

Por isso, independentemente da profissão, cargo ou perfil, o profissional de excelência precisa se comunicar bem em qualquer contexto: no atendimento ao cliente, nas reuniões, nas negociações, no trabalho em equipe e em apresentações em público.

Nos dias de hoje, é fundamental se comunicar bem não só oralmente, mas também por escrito.

Ao contrário do que muita gente pensa, se comunicar com clareza não é falar bastante, mas sim dizer as coisas certas, de forma simples e compreensível.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio possuem visão sistêmica

Antigamente conhecida como “visão holística”, a visão sistêmica permite ao profissional enxergar e compreender o todo por meio da análise das partes que o formam.

Trata-se da habilidade de um profissional de entender o funcionamento da empresa rural como um sistema, e de tomar decisões avaliando o cenário e todas as variáveis que o influenciam.

O profissional com visão sistêmica conhece o funcionamento de todos os setores da empresa rural e, por isso, sabe como resolver os problemas explorando o melhor que cada setor tem a oferecer.

Quando o problema é externo, esse profissional consegue avaliar os cenários, encontrar os fatores que estão relacionados e propor a melhor solução, ao invés de conseguir enxergar apenas o problema em si.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio são resilientes

Resiliência é um conceito da Física que se refere à propriedade que alguns corpos apresentam de retornar à forma original após terem sido submetidos a alguma tensão ou pressão.

Por isso, as empresas passaram a chamar de “resilientes” os profissionais capazes de superar situações difíceis e manter a integridade.

E não é difícil compreender o motivo pelo qual essa característica é hoje muito valorizada nas empresas ligadas ao Agronegócio.

Quando tudo está correndo bem, conforme o planejado, qualquer profissional é bom, inclusive o profissional medíocre.

É quando as coisas dão errado – o produto não funcionou, o cliente está zangado, a equipe não entregou os resultados, a safra foi ruim – é que os profissionais resilientes se destacam dos demais.

Os profissionais resilientes não se entregam, mesmo nas situações mais difíceis.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio são criativos

Profissionais criativos possuem a capacidade de inovar, de produzir ideias, de fazer algo novo ou original, de propor novas soluções para problemas antigos.

Ser criativo é pensar fora da caixa, ou seja, pensar de forma diferente.

É ser original, não seguindo as normas pré-estabelecidas e não replicando o que já foi feito milhares de vezes.

A criatividade é um elemento essencial no contexto do trabalho.

E ao contrário do que muita gente acha, a criatividade pode ser aprendida e desenvolvida ao longo da sua carreira.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio trabalham bem em equipes

Trabalho em equipe pode ser definido como os esforços conjuntos de um grupo visando a solução de um problema.

Saber trabalhar em equipe implica em conseguir administrar conflitos para obter o melhor resultado possível de um grupo.

Profissionais que possuem facilidade para trabalhar em equipes geralmente possuem empatia (conseguem compreender as emoções de seus colegas) e bom relacionamento interpessoal (possuem facilidade em estabelecer ligações fortes e duradoras com outras pessoas).

É preciso também saber o momento de exercer a liderança e o momento de aceitar a liderança de outra pessoa.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio possuem disciplina

A disciplina é a capacidade de se manter focado nas tarefas necessárias para alcançar uma meta, sem se desviar e sem perder a motivação.

Desta forma, é possível afirmar que a disciplina está relacionada à responsabilidade e à organização.

O profissional disciplinado é aquele que gerencia o seu tempo e, por isso, respeita prazos e horários, e respeita a hierarquia, não só dos cargos e funções, mas também dos processos.

Os profissionais de excelência mantêm um equilíbrio entre trabalho, família e estudos, e para conseguir isso, inevitavelmente eles precisam de organização e disciplina.

Lembra da música do Renato Russo? Disciplina é liberdade.

Em outras palavras, a disciplina proporciona liberdade de escolha e, desse modo, permite ao profissional ter o controle das suas próprias ações.

A disciplina é uma das qualidades mais difíceis de serem desenvolvidas, principalmente porque vivemos em uma época repleta de estímulos e de possibilidades, em que é muito fácil se dispersar e perder o foco.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio possuem paixão pelo que fazem

Para fazer algo bem feito, as pessoas precisam encontrar satisfação e paixão no que realizam.

Enquanto a maioria dos profissionais vê o seu trabalho como um fardo pesadíssimo ou como uma obrigação, os profissionais de excelência têm paixão pelo que fazem.

É claro que no exercício de qualquer profissão existem atividades que adoramos fazer e outras que gostaríamos de evitar.

O segredo aqui é manter o enfoque, entre todas as atividades da sua função na empresa rural, nas atividades que lhe proporcionam mais satisfação.

Profissionais que possuem paixão pelo que fazem possuem maior motivação no trabalho, e acabam contagiando e inspirando outras pessoas.

 

Profissionais de excelência do Agronegócio possuem inteligência emocional

Um profissional emocionalmente inteligente é aquele que consegue identificar, compreender e gerenciar os próprios sentimentos, assim como o sentimento dos outros.

Entre as características da inteligência emocional está a capacidade de controlar impulsos, canalizar emoções para situações adequadas, praticar a gratidão e motivar as pessoas.

A inteligência emocional é constituída por cinco componentes: autoconhecimento, autocontrole, motivação, empatia e habilidades sociais.

Esta competência, cada vez mais, tem o papel de diferenciar o profissional de excelência do Agronegócio, pois permite desenvolver um ambiente harmonioso e, ao mesmo tempo, ser produtivo em ideias e resultados.

Como se tornar um profissional de excelência do Agronegócio

O primeiro passo na busca pela excelência profissional no Agronegócio é o autoconhecimento.

Agora que você já sabe quais são os pontos que diferenciam um profissional de excelência dos demais, faça uma análise profunda e sincera sobre suas características profissionais, e avalie quais são passíveis de melhoria.

O segundo passo é se sentir incomodado com suas limitações e com seus pontos fracos. Isso será fundamental para manter sua motivação durante o processo.

Procure compreender também quais são os possíveis pontos sabotadores que impedem você de atingir a excelência profissional.

Feito isso, você precisará sair da sua zona de conforto, estudar e ler bastante.

Para cada um dos itens citados neste artigo existem inúmeros textos, artigos, livros, vídeos, cursos e mentorias disponíveis na internet.

Só não evolui profissionalmente hoje em dia quem não quer.

A boa notícia é que todas as características dos profissionais de excelência apresentadas acima podem ser aprendidas e aperfeiçoadas.

Procure buscar a excelência em cada atividade do seu dia-a-dia.

Tente incorporar na sua rotina os pontos destacados neste artigo, e se policie para medir os avanços.

Para toda atividade que você vai fazer, acostume-se a perguntar:

  • Qual é a melhor forma de realizar essa atividade?
  • De que forma essa atividade poderia gerar os melhores resultados?
  • Como posso executar essa atividade de uma maneira que ninguém pensou antes?

A busca pela excelência é um processo de aprendizagem contínuo.

Aristóteles, na Grécia antiga, já dizia que:

Só fazemos melhor aquilo que repetidamente insistimos em melhorar. A busca da excelência não deve ser um objetivo, e sim um hábito.

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos