Você já parou para reparar na velocidade em que as mudanças estão acontecendo no Agronegócio?

A agricultura está em constante e rápida evolução, e em toda safra somos apresentados a novos produtos, novos serviços, novas tecnologias, novos softwares, e novas técnicas de manejo.

A pecuária, da mesma forma, tem evoluído muito em nutrição animal, manejo e gerenciamento do rebanho, rastreamento, novas formas de comercialização, entre várias outras mudanças.

E para acompanhar tudo isso, nos falta o insumo mais precioso de todos: o tempo.

A impressão que temos é que o dia tem cada vez menos horas para conseguirmos realizar tudo aquilo que precisamos, não é mesmo?

Temos um volume cada vez maior de informações para absorver, uma quantidade crescente de atividades para realizar, e a mesma quantidade de horas em um dia.

Neste contexto, como fica a sua evolução profissional?

Como se manter atualizado diante de tantos desafios?

Como reciclar aqueles conceitos básicos, tão necessários na hora de resolver problemas?

Por causa destas e outras questões, muitos profissionais e empresas do Agronegócio têm adotado uma nova tendência de ensino-aprendizado: o microlearning.

Talvez você ainda não tenha ouvido falar sobre microlearning (e essa é nossa função aqui no Instituto Agro, lhe apresentar as novidades) ou talvez até já tenha realizado treinamentos no formato microlearning sem conhecer profundamente esse conceito.

O microlearning é o termo usado para definir o fornecimento de informações e/ou conteúdos de forma rápida, simples e eficiente.

No microlearning o foco principal está na capacitação de pessoas, por meio de diferentes ferramentas de aprendizado rápido, motivo pelo qual também é conhecido como microaprendizagem.

O microlearning tenha conseguido muitos adeptos, principalmente neste cenário atual, em que as pessoas estão cada vez mais sedentas por informações e conhecimento, que precisam estar prontamente disponíveis para serem absorvidos de forma rápida em notebooks, tablets e/ou smartphones.

A revolução digital evidenciada na última década mudou a forma como as pessoas acessam as informações, bem como a sua capacidade de absorver estas informações.

De acordo com o IBGE, o acesso à internet cresceu cerca de, 112% nos últimos anos, e isso aconteceu em decorrência do número de pessoas possuindo smartphones, uma vez que 97% da população acessa a internet por meio destes aparelhos.

Fatores que juntos, impulsionam o microlearning dentro e fora das organizações corporativas do Agronegócio.

Atualmente, diversas pessoas já aderiram a este tipo de aquisição de informação sem nem mesmo se darem conta disso.

O microlearning permite que os interessados tenham a liberdade de escolher onde, como e quando querem acessar os conteúdos e as informações.

No Agronegócio, o microlearning pode ser utilizado de diversas maneiras., como por exemplo, quando um funcionário novo é contrato e, torna-se necessário que ele conheça todas as regras de segurança da empresa ou da propriedade rural.

Atualmente, isso pode ser realizado de forma rápida e eficiente através do microlearning, ou seja, por meio de vídeos curtos, por exemplo, isso pode ser rapidamente demonstrado, sem que seja necessário um interlocutor e/ou até mesmo, uma visita técnica em todos os setores da empresa.

Se você se interessou por essa nova tedência de ensino-aprendizagem, então continue lendo esse artigo, para aprender sobre:

  1. Os problemas dos treinamentos extensos
  2. Conhecendo a fundo o microlearning
  3. Vantagens do microlearning para os profissionais do Agronegócio
  4. Microlearning para treinamentos corporativos
  5. Microlearning na prática: exemplos de uso no Agronegócio

 

Os problemas dos treinamentos extensos

No ritmo atual em que vivemos, cada vez mais as pessoas têm cada vez menos tempo para as atividades do dia a dia.

Por isso, a escolha por treinamentos extensos é comumente postergada na ideia de que “quando tiver tempo, eu faço“.

Para combater esse tipo de situação, o microlearning surge como a primeira opção de pequenas e/ou grandes corporações do Agronegócio.

Treinamentos longos, por mais conteúdos e informações que forneçam, são exaustivos e demandam tempo.

Além disso, quando tais treinamentos são demasiadamente longos, a pessoa que está sendo objeto deste treinamento tende, com frequência, a perder o foco e fadigar, o que o torna ineficiente, uma vez que a informação não será absorvida da melhor forma.

Por exigir maior demanda de tempo, os treinamentos extensos são comumente realizados nos finais de semana ou durante os intervalos dos horários de trabalho.

Mas sejamos sinceros: é um tempo que você gostaria de estar descansando, praticando esportes, fazendo um churrasco, aproveitando a família, os amigos, e/ou cuidando da sua sanidade mental.

Já nos treinamentos realizados durante o expediente, você deixa de realizar o seu trabalho, o que pode reduzir a sua produtividade ou acumular mais trabalho para os dias seguintes.

Com foco em evitar estes tipos de situações, o microlearning se torna o principal aliado das organizações e dos profissionais do Agronegócio, por permitir que os profissionais se mantenham produtivos durante as suas jornadas de trabalhos e não tenham que sacrificar os seus dias de descanso para realizar algum tipo de treinamento.

Conhecendo a fundo o microlearning

Traduzindo ao “pé da letra”, microlearning significa microaprendizagem.

Mas o seu significado pode ser entendido da seguinte forma:

  • Micro: refere-se ao tempo necessário para a utilização da ferramenta na absorção de conteúdo, na maioria das vezes, pode variar de poucos segundos a alguns minutos.
  • Learning: na tradução literal para o português significa aprendizado. Contudo, é um termo derivado do “e-learning” (ferramenta de aprendizado online).

Em outras palavras, podemos considerar que o microlearning é uma ferramenta para o processo de ensino-aprendizagem.

Desta forma, atua transmitindo e fornecendo conteúdos e informações de modo rápido e prontamente disponível.

Algumas pesquisas tem se referido ao termo “microconteúdo” para caracterizar o material informativo fornecido pelo microlearning.

No entanto, engana-se quem pensa que o microlearning é uma ferramenta apenas para a transmissão de conteúdos simples.

Por meio da fragmentação da informação, o microlearning possibilita a construção de conteúdos complexos, que podem ser subdivididos em pequenas partes, a fim de facilitar a aprendizagem.

É importantíssimo frisar que o microlearning não significa que o conteúdo abordado é de pouca relevância ou que tenha “menos conteúdo”.

O microlearning pode ser entendido também como um apoio para o aprendizado.

Além de tudo, o microlearning pode e deve utilizar diversos recursos multimídia, como por exemplo:

  • Vídeos
  • Podcast
  • E-books
  • Postagens em redes sociais (Facebook, LinkedIn, Instagram, Twitter, etc)
  • E-mails
  • Aplicativos
  • Materiais impressos

Outra ferramenta bastante utilizada no microlearning são as pílulas do conhecimento ou pílulas do aprendizado.

Elas podem ser resumidas em conteúdos de curta duração, dicas e/ou até mesmo lembretes e, desta maneira, podem ser acessadas facilmente durante alguns minutos do seu dia a dia.

Podemos ainda concluir dizendo que o microlearning é formado por meio de diversas pílulas de aprendizagem.

 

Curso de Manejo da Fertilidade do Solo para Altas Produtividades
Curso de Manejo da Fertilidade do Solo para Altas Produtividades

 

Vantagens do microlearning para os profissionais do Agronegócio

O microlearning é uma ferramenta capaz de agregar conhecimento em uma velocidade compatível com a demanda de profissionais de excelência do Agronegócio.

Por isso, elencamos abaixo, as principais vantagens do microlearning:

  • Melhor aproveitamento do tempo: podemos considerar que esta é a principal característica e vantagem do microlearning, pois o profissional escolhe o melhor horário e local para acessar os conteúdos, que não irão demandar horas de concentração.
  • Fácil atualização: por fornecer conteúdos rápidos, o microlearning permite que os profissionais consigam estar sempre atualizados do que ocorre no setor agropecuário, em tempo real.
  • Rapidez e agilidade: em função da correria do dia a dia, o microlearning possibilita que conteúdos de alto valor intelectual estejam prontamente disponibilizados, para que sejam absorvidos por quem utiliza a ferramenta.
  • Acessibilidade e mobilidade: sem sombra de dúvida esse é um dos pontos altos do microlearning, já que os treinamentos podem ser acessados nas mais diversas formas (notebooks, tablets ou smartphones), sem hora e data marcada ou local físico específico para que isso ocorra.
  • Personalização: por ser uma tecnologia dinâmica, possibilita que os conteúdos sejam personalizados, ou seja, direcionados para públicos específicos, como os profissionais do Agronegócio ou para partes de uma tarefa, ao invés da atividade inteira.
  • Produtividade: devido aos fatos de poder ser acessado de qualquer lugar, a qualquer momento e por curtos períodos, o microlearning permite que o profissional se mantenha produtivo. Sendo assim, ele não precisa parar as suas atividades cotidianas por períodos de tempo elevados para ter acesso aos conteúdos.

Além de tudo isso, o microlearning permite a atualização de modo mais rápido dos treinamentos, agilizando a velocidade de disponibilização de treinamentos para atender as demandas constantes do setor agropecuário.

Microlearning para treinamentos corporativos

Dentro das propriedades rurais e empresas do Agronegócio, o microlearning pode ter diversos objetivos, já que esta ferramenta se adapta às mais diversas necessidades que as instituições possam vir a ter, como por exemplo:

  • Complementação ou atualizações de treinamentos: muito utilizado quando a empresa do Agro necessita reforçar alguns conceitos ou orientações aos colaboradores, como, por exemplo uma empresa agropecuária que promove um treinamento sobre a utilização correta de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual) para as aplicações de produtos fitossanitários (fungicidas, inseticidas, herbicidas, etc). Algumas semanas após o treinamento, podem ser disponibilizados diversos vídeos sobre o cuidado com utilização correta dos EPI’s.
  • Contextualização: o microlearning é uma opção interessante quando novos produtos, serviços ou manejos são incorporados à empresa, exigindo a necessidade do fornecimento de conteúdo ou informações sobre este produto ou serviço, sem necessariamente se aprofundar. Nestes casos, treinamentos curtos podem solucionar a demanda por informação.
  • Acervo de informações: podem ser representadas por informações curtas sobre um assunto específico. Neste caso, o objetivo é criar um banco de dados para sanar dúvidas. Por exemplo, quando um novo software ou equipamento é adquirido, pode ser necessário um material que explique algumas das suas funções, para ser acessado em casa de dúvidas.
  • Suprir uma deficiência de comunicação: empregado com o intuído de reforçar algum tipo de informação. Por exemplo, verificou-se que muitos trabalhadores estavam deixando de utilizar determinadas peças dos EPI’s necessários às aplicações de produtos fitossanitários. O gestor da fazenda deve reforçar a conscientização dos colaboradores para prevenir intoxicações ou acidentes de trabalho.

Microlearning na prática: exemplos de uso no Agronegócio

Ano após ano, as safras de grãos do Brasil batem recordes de produção, o que nos enquadra como um dos maiores produtores de alimentos em ternos mundiais.

Entretanto, diante na necessidade global por uma agricultura sustentável é necessário que possamos produzir mais, no mesmo espaço ou em espaços menores, gastando menos para isso.

Desta forma, os profissionais do agronegócio são constantemente desafiados a estarem atualizados para manterem-se no mercado de trabalho. Uma das formas mais eficientes e rápidas para isso são os treinamentos via microlearning.

Bons exemplos disso são os treinamentos de atualizações sobre técnicas de manejos, novas tecnologias, técnicas de vendas, marketing, gestão etc.

Atualmente, diversas instituições do Agronegócio dispõem de plataformas para EAD (Ensino à Distância) que possibilitam a esses profissionais estarem sempre antenados, onde quer que eles estejam.

Isso é extremamente vantajoso para aqueles profissionais que estão em áreas de difícil acesso (fazendas afastadas da cidade), que viajam bastante, que trabalham em horários diferenciados etc.

O microlearning permite que o conteúdo seja acessado em qualquer lugar que disponha de acesso a internet. Sendo assim, não há a necessidade de deslocamento, gastos com diárias, combustível, alimentação etc.

Reduzindo os custos das corporações e otimizando a sua gestão em diversos níveis:

Além disso, também é possível utilizar o microlearning para treinamento de trabalhadores rurais, ainda que eles tenham diferentes níveis de escolaridade, pois dependendo do tema e da forma como ele é abordado, a facilidade de compreensão é igual pata todos.

O microlearning é uma ferramenta que veio para ficar no Agronegócio brasileiro, sobretudo, devido a dinamicidade e a velocidade de como as coisas ocorrem no setor, uma vez que, as atividades de produção de carne, grãos, fibras, bioenergias e seus derivados não podem parar.

Sendo assim, podemos dizer que o microlearning é a principal tendência de difusão de conhecimento no cenário atual do Agronegócio.

 

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

Técnicas de Vendas e Marketing no Agronegócio
Técnicas de Vendas e Marketing no Agronegócio
Por |2020-03-30T17:08:55-04:0017.03.2020|Categories: Carreira|Tags: , , |
Engenheira Agrônoma, Doutora em Fitopatologia, Especialista em doenças de plantas, agricultura de precisão com drones e melhoramento genético

Deixar um comentário