A agroindústria brasileira é um setor que tem se desenvolvido muito nas últimas décadas.

Você sabia que, atualmente, ela participa em, aproximadamente, 6% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro?

Muitos investimentos têm sido realizados para alavancar o setor, bem como a disponibilização de linhas de créditos destinadas a pequenos e médios empreendedores rurais.

Mas apesar dos esforços, o tema ainda é pouco discutido entre os profissionais do agronegócio.

Vamos conhecer um pouco mais sobre o que a Agroindústria tem a nos oferecer?

Existem várias formas de definir a agroindústria, alguns especialistas costumam dividir as suas atividades em:

  • Antes da porteira: refere-se aos segmentos da agroindústria que trabalham com insumos (sementes, adubos, equipamentos…) e fatores de produção (mão-de-obra, crédito, etc).
  • Dentro da porteira: refere-se aos itens de produção, ou seja, a matéria-prima. Diz respeito aos processos produtivos no campo, como por exemplo, geração de grãos, frutos, carne, madeira…
  • Depois da porteira: geralmente, quando se fala em agroindústria, imagina-se este tipo de transformação. Nesta subdivisão estão incluídos os processos de beneficiamento, processamento, embalagem, distribuição e comercialização.

A agroindústria visa agregar valor aos produtos gerados no campo, sobretudo, na agricultura familiar. Desta forma, os produtores rurais não ficam dependentes de atravessadores e/ou indústrias de transformação, tendo a mão todo o processo produtivo.

Além disso, é possível inserir na agroindústria mão de obra familiar, indivíduos envolvidos em associações e/ou cooperativas. Fatores que auxiliam no bem estar da sociedade/comunidade em que estão inseridos.

A agroindústria é um setor que modificou a vida de algumas pessoas que vivem na zona rural. Nos últimos anos, houve uma grande evolução nesta atividade, o que impulsionou a geração de renda e empregos.

Parte desse avanço ocorreu em função do apoio de entidades públicas como as ATERS (Assistência Técnica e Extensão Rural e Social) e a Embrapa. Através de treinamentos e apoio técnico, visando a melhoria da qualidade dos produtos gerados pelas agroindústrias.

Tipos de agroindústria

De acordo com alguns especialistas da área, as agroindústrias ainda podem ser classificadas como:

  • Agroindústrias não alimentares: são aquelas que utilizam como matérias-primas fibras, madeira, couros, óleos vegetais, subprodutos agroflorestais e quaisquer produtos gerados pela agricultura que não sejam comestíveis.
  • Agroindústrias alimentares: como o próprio nome já diz, referem-se as agroindústrias destinas ao processamento de bens alimentícios como barras de cereais, sucos, geleias, polpas, extratos, lácteos, carnes e entre outros.

As agroindústrias alimentares e não alimentares são fáceis de distinguir pelos tipos produtos que geram. Por isso, também apresentam procedimentos industriais bem distintos umas das outras.

As agroindústrias alimentares requerem uma série de cuidados referentes a normas sanitárias. Neste sentido, as exigências são maiores e, devem obedecer a legislação sanitária vigente.

Ao passo que, nas agroindústrias não alimentares os procedimentos para transformação de matéria-prima são menos exigentes e similares aos de indústrias de outros setores.

Entretanto, uma característica que é comum aos dois segmentos da agroindústria é a sua proximidade ao meio urbano, ou pelo menos, a facilidade de acesso aos centros consumidores.

Além disso, espera-se que as agroindústrias possuam certa constância na qualidade dos produtos gerados. Bem como, garantam uma sazonalidade mínima de oferta para o mercado.

Contudo, independentemente do tipo de agroindústria, uma coisa é certa, ela promove a integração do meio rural com a economia de mercado.

Agroindústria familiar

Considerando o cenário agrícola em que estamos inseridos, a agroindústria brasileira é, na sua maioria das vezes, de cunho familiar. Sendo assim, esta é uma forma interessante de agregar valor aos produtos gerados pelos pequenos produtores rurais com o apoio de suas famílias.

Este tipo de atividade possibilita uma melhoria na qualidade de vida destas famílias. Uma vez que, torna possível agregar valor aos produtos produzidos, de forma que a renda familiar seja maximizada.

A agroindústria familiar caracteriza-se como uma importante estratégia de sobrevivência para pequenos produtores. Desta forma, eles elevam o nível de sustentabilidade da agricultura familiar.

Pesquisadores ainda caracterizam a agroindústria familiar como uma alternativa à exclusão dos agricultores do processo agrícola comercial. Ou seja, enquadra-se como uma “reapropriação” pelo agricultor de atividades que, anteriormente estavam diretamente ligadas a produção rural.

O grande avanço da agroindústria na agricultura familiar pode ainda ser atrelado a outros fatores, como:

  • A dificuldade para os pequenos produtores em acompanhar os níveis tecnológicos e tetos produtivos, comparados aos grandes produtores.
  • Falta de capacidade competitiva.
  • Dificuldade para inserir seus produtos em grandes centros comerciais.

Outros autores sugerem ainda que, as agroindústrias emergiram em resposta à crise da agricultura familiar modernizada. Sendo fortemente amparadas pelo histórico das comunidades rurais, herdadas das formas de agricultura tradicional. Processo que ocorreu previamente ao período de modernização.

Estes e outros aspectos, serviram para fomentar alternativas de renda para as famílias rurais. As quais, começaram se organizar em associação ou cooperativas, com o objetivo de agregar valor aos seus produtos, garantindo fornecimento e a comercialização dos produtos gerados.

Outra linha de pensamento associada as agroindústrias familiares buscam o resgate e promoção dos saberes regionais e culturais. Ideias que tem voltado “à moda” nos últimos anos.

 

Curso de Manejo da Fertilidade do Solo para Altas Produtividades
Curso de Manejo da Fertilidade do Solo para Altas Produtividades

 

Linhas de financiamento

Como já foi discutido, a agroindústria é um processo emergente no meio rural. Por isso, diversas linhas de financiamento foram desenvolvidas para fomentar e incentivar o desenvolvimento do setor.

Dentre elas, podemos citar:

  • Pronaf Agroindústria: esta é a linha de financiamento mais conhecida. Podem solicitar este crédito os agricultores familiares cadastrados no Pronaf. Entretanto, é necessário que, seja previsto o beneficiamento e/ou processamento da produção de 55 a 80%. Estão incluídos nesta linha de crédito investimentos, relacionados a infraestrutura, desde que objetivem o beneficiamento, armazenagem, processamento e comercialização da produção agropecuária. Os valores financiados dependem do tipo de agroindústria e podem variar de 165 mil até 35 milhões. Para mais informações, acessar o folheto do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
  • Programa de Financiamento para Comercialização, Beneficiamento ou Industrialização de Produtos de Origem Agropecuária (FINAGRO): corresponde a uma linha de financiamento do Banco do Nordeste, que tem o objetivo de dar suporte à atividades agroindustriais, industriais e comerciais mediante a concessão de financiamentos destinados à aquisição de insumos e matérias-primas de origem agropecuária.
  • Financiamento para Garantia de Preços ao Produtor (FGPP): está é uma linha de crédito mais restrita e visa permitir à agroindústria adquirir dos produtores rurais a sua produção. Isto quer dizer, por valor não inferior ao preço mínimo, no caso de produtos amparados pela Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM). Este financiamento está disponível apenas para pessoas jurídicas com faturamento anual bruto acima de R$ 30 milhões. Esta opção está disponível pela Caixa Econômica Federal.

No entanto, estas linhas de financiamento não são as únicas opções para o setor da agroindústria. De acordo com o Portal da Indústria, o Núcleo de Acesso ao Crédito (NAC) ressalta que existem cerca de 34 instituições financeiras de crédito com fundos para a agroindústria.

Dicas fundamentais para a criação de uma agroindústria

A implantação de qualquer negócio requer uma série de cuidados, com as agroindústrias isso não é diferente. Desta forma, elencamos alguns itens importantes para serem observados antes de criar a sua agroindústria.

  • Matéria-prima: este é o fator determinante para a viabilidade e o sucesso da agroindústria. Uma vez que, todo o dimensionamento da atividade produtiva é mensurado em função da quantidade de matéria-prima produzida pelos agricultores e/ou associados. Ela garante que haja um planejamento racional das atividades. Além disso, possibilita um incremento na autonomia dos processos, reduz os custos de produção e a necessidade de capital de giro.
  • Mão de obra: numa agroindústria deve-se aproveitar a mão de obra dos agricultores e seus familiares. Desta forma, proporciona-se um incremento na renda das famílias e da própria comunidade em que estão inseridos. Bem como, elimina-se a necessidade de aquisição de mão de obra de pessoas de fora da comunidade.
  • Gestão: de nada adianta ter matéria-prima e mão de obra, se não houver uma boa gestão estratégica desses recursos. Neste item podem ser incluídos todos os quesitos de uma boa gestão agrícola, como gestão de pessoas, de recursos, de capital etc. No caso da agroindústria, a gestão do empreendimento pode ocorrer de forma individual (quando o agricultor gere o seu próprio negócio) ou comunitária (grupo de produtores, organizados ou não em uma associação).
  • Localização das instalações: de modo generalista podemos considerar que o local ideal para as agroindústrias é o meio rural. De forma que, localizem-se próximas ao local de produção das matérias-primas, das comunidades e/ou das famílias associadas. Com isso, aproveita-se melhor a mão de obra familiar e reduz-se os custos de transporte de pessoas e matéria-prima.
  • Adequação dos fatores produtivos: para que uma agroindústria se torne economicamente viável é fundamental uma perfeita adequação entre os fatores produtivos. Isso é, tipo e capacidade dos equipamentos a serem utilizados, o tamanho das instalações deve ser compatível com o modelo de produção, construção e dos equipamentos. Isso evita, altos investimentos com maquinários com capacidade de trabalho muito acima da demanda. Além de tudo, deve-se considerar a capacidade de o mercado da região absorver todos os produtos beneficiados.
  • Escalabilidade produtiva: este último item torna-se mais fácil quando todos os demais já foram ajustados. Desta forma, a atividade terá uma escala produtiva compatível com a sua capacidade de produção e de mercado. De modo que, consiga manter uma produção em níveis aceitáveis sem perder a sua qualidade. Em alguns casos específicos, pode-se considerar a necessidade de um estudo de viabilidade antes de iniciar a construção da agroindústria. Isso objetiva aumentar a competitividade dos produtos no mercado.

Casos de sucesso da agroindústria

Assim como qualquer atividade comercial, as agroindústrias necessitam de uma boa gestão para manterem-se competitivas no mercado. Bem como, produtos atrativos e com boa qualidade.

Por isso, segue abaixo alguns casos de agroindústrias de sucesso, em diversas regiões do Brasil.

  • Minifábricas de castanha de caju: na região nordeste é muito comum a produção de caju, os quais são destinados a indústria de suco e polpa, principalmente. Surge neste cenário como alternativa para pequenos produtores as minifábricas de beneficiamento da castanha de caju. A sua implantação incentiva a produção por produtores rurais e associações. Além disso, segundo a Embrapa, o processamento das minifábricas resulta em produtos de melhor qualidade. No sistema de produção das minifábricas a castanha é cozida em autoclaves e o seu corte pode ser mecanizado ou manual.
  • Agroindústrias de Mel: o mel é outro produto muito popular na agroindústria familiar no Brasil inteiro. A Agroindústria Mel de Gramado é um caso de sucesso na região sul, ela foi eleita entre os melhores produtos da agricultura familiar no 8º Concurso de Produtos da Agroindústria Familiar da 42° edição da Expointer. Para fomentar este segmento o Sebrae disponibiliza uma série de informações a fim de auxiliar os interessados neste mercado.
  • Agroindústria de Ovos Caipira: a produção de galinha caipira é outra atividade que movimenta a cadeia produtiva, tanto em pequenas cidades quanto em grandes centros urbanos. A agroindústria Ovos Tradição Caipira é um exemplo de como o negócio funciona. Localizada no município de Frederico Westphalen, a agroindústria possui cerca de, 900 animais, que produzem em média de 65 dúzias de ovos dia-1. Esta produção é comercializada nos mercados locais e na feira do produtor. De acordo com os proprietários, o diferencial desta agroindústria está no bem-estar e na saúde dos animais, que são criados soltos nas pastagens e recebem ração equilibrada.

 

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

Técnicas de Vendas e Marketing no Agronegócio
Técnicas de Vendas e Marketing no Agronegócio