Nos dias atuais, muito se fala na diversificação das atividades produtivas no meio rural.

Isso permite que, em meio a determinadas adversidades de clima ou até mesmo de mercado, o pequeno, médio e grande produtor não fique sem renda.

Desta forma, uma opção interessante é a criação de codornas, sobretudo para a agricultura familiar. Dados do IBGE estimam que, nos últimos anos houve um aumento de, aproximadamente, 12% no número de animais e 6,5% na produção de ovos.

Especialmente, devido a mudança de hábito da população, que passou a comer mais fora de casa, impulsionando o setor de self-service, importante consumidor dos ovos de codorna.

Outras vantagens relacionadas a implementação da criação de codornas são:

  • Baixo investimento inicial
  • Demanda baixa de mão de obra
  • Necessidade de pequeno espaço para iniciar a atividade
  • Retorno financeiro no curto prazo

Além disso, se a criação de codornas for bem planejada e o manejo estiver em dias, estes animais apresentaram uma boa taxa reprodutiva. Isto quer dizer que, haverá oferta contínua de ovos e os animais alcançarão a idade ideal para se reproduzir muito rápido.

Sendo assim, a criação de codornas se torna uma atividade muito mais lucrativa, uma vez que se tornará cíclica. Ou seja, depois de um determinado tempo você não terá mais a necessidade de aquisição de animais.

Outro ponto positivo é que os ovos de codorna têm comercialização garantida. Podendo ser vendidos in natura, cozidos ou até mesmo em conservas.

Por isso, se você está pensando em iniciar a criação de codornas, fique atento as dicas abaixo.

Infraestrutura necessária para a criação de codornas

A criação de codornas requer uma infraestrutura de baixo custo e de fácil aquisição.

Entretanto, o produtor necessita ter em mente qual será a finalidade da sua criação, isto é, comercialização de ovos ou carne e até mesmo, se é para o consumo próprio.

De modo geral, podemos considerar que para iniciar a criação de codornas, com cerca de 2.500 aves, a infraestrutura necessária não será superior a 20 m², mas o local escolhido para abrigar a criação de codornas deve possuir uma boa circulação de ar.

Sobretudo, deve-se se dar atenção a temperatura destes locais, que não deve ultrapassar os 25 ºC. O ideal é que se consiga manter uma temperatura média de, aproximadamente, 18 a 20 ºC.

A temperatura é um fator preponderante na criação de codornas, uma vez que temperaturas elevadas reduzem a fertilidade das aves. Sendo assim, reduz o número de ovos produzidos, que na maioria dos casos, é o objetivo dos produtores.

Para facilitar o entendimento, vamos detalhar abaixo as principais estruturas necessárias para a criação de codornas.

  • Galpões: estas construções podem ser fechadas ou abertas e representam boa parte do investimento inicial. Contudo, o produtor pode aproveitar qualquer construção existente na sua propriedade, desde que, o espaço permita uma boa acomodação das gaiolas e uma excelente circulação de ar.
  • Telhado: está atrelado a infraestrutura dos galpões. Para a criação de codornas, o telhado deve ser construído de forma a proporcionar conforto térmico as aves. Desta forma, caso utilize uma construção pré-existente na propriedade, deve-se considerar a troca do telhado ou instalação de ventiladores para que a temperatura fique em níveis aceitáveis.
  • Gaiolas para postura de ovos: recomenda-se a utilização de gaiolas de arame galvanizado, devido a facilidade de higienização. Estas estruturas podem ser facilmente adquiridas em lojas especializadas. De modo geral, apresentam medidas padronizadas de acordo com o número de aves que podem comportar.
  • Gaiolas para a recria: a criação de codornas é dividida em fases. Sendo assim, essas gaiolas são utilizadas durante a fase intermediária de crescimento das aves. Ou seja, elas permanecem nestas gaiolas de, aproximadamente, 15 até os 35 dias de vida.
  • Gaiolas para codornas de corte: essa estrutura é semelhante as outras gaiolas, entretanto, levam em consideração um espaço maior por ave.

 

Técnicas de Vendas e Marketing no Agronegócio
Técnicas de Vendas e Marketing no Agronegócio

 

Melhoramento genético na criação de codornas

A maioria das aves utilizadas na criação de codornas no Brasil pertencente ao gênero Coturnix. As codornas japonesas (Coturnix coturnix japonica) e europeias (Coturnix coturnix coturnix) são as espécies predominantes, seja para a produção de ovos ou carne.

Atualmente, são poucas as instituições de pesquisas que trabalham com o melhoramento genético de codornas. Entretanto, destaque merece ser dado ao Programa de Melhoramento Genético de Codornas da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Essa instituição é responsável pelo desenvolvimento de aves destinadas para a criação de codornas com fins específicos.

Isso quer dizer que os melhoristas trabalham desenvolvendo e selecionando raças e/ou espécies específicas para a produção de ovos e de carne.

A criação de codornas pode contemplar mais de uma espécie de ave, as quais devem ser mantidas separadas. Visto que, possuem características produtivas diferentes:

 

  • Codorna africana (Coturnix delegorguei): tem temperamento arisco e por isso, deve ser criada em ambientes espaçosos. É uma ave com baixa postura, variando de, 4 a 8 ovos por período reprodutivo.

 

Criação de codornas

Coturnix delegorguei, por Hive001, CC BY-SA 3.0

 

  • Codorna americana (Colinus virginianus): é uma codorna de tamanho superior as demais, podendo atingir 25 cm. A sua produção de ovos é baixa, sendo muito utilizada na criação de codornas com fins de comercialização de carne.

 

Criação de codornas

Colinus virginianus, por BS Thurner Hof, CC BY-SA 3.0

 

  • Codorna chinesa (Coturnix adansonii): é uma ave pequena, dócil e de baixa capacidade de postura. A sua principal vantagem na criação de codornas é a sua docilidade, podendo ser criada junto a outras espécies de aves.

 

Criação de codornas

Coturnix adansonii, por C. G. Finch-DaviesHorsbrugh, Boyd (1912) The game-birds and water-fowl of South Africa. Witherby & Co. London, Public Domain

 

 

Criação de codornas

Coturnix coturnix coturnix, por KaouroVObra do próprio, CC BY-SA 4.0

 

  • Codorna japonesa (Coturnix coturnix japonica): para quem está iniciando a criação de codornas, esta é a ave ideal. Como vantagens, ela adapta-se bem a diferentes condições climáticas e é dócil. Além de tudo, inicia a postura com 35 dias de vida, com uma produção de 200 a 300 ovos ano-1.

 

Coturnix coturnix japonica, por Ingrid TaylarFlickr: Mikiko the Quail, CC BY 2.0

 

Fases de vida e alimentação necessária para a criação de codornas

Para a criação de codornas, a alimentação deve ser fornecida conforme com as fases de vida e a finalidade da produção (ovos ou carne). De modo geral, as fases de vida podem ser divididas em:

  • Fase de cria: representa o período de vida compreendido entre o nascimento das codornas até os 15 ou 21 dias. Para a criação de codornas de corte, pesquisas estabelecem que a exigência de proteína bruta para o máximo ganho de peso nesta fase deve ser de, pelo menos 30%.
  • Fase de recria: neste caso, as aves possuem de 15 a 21 dias de vida, são alimentadas com uma dieta específica até os 35 dias.
  • Fase de postura: compreende a fase de vida acima dos 35 dias, das aves destinadas a produção de ovos.
  • Fase de engorda: compreende o período de vida acima dos 35 dias, das aves destinadas a produção de carne.

 

Em cada uma dessas fase, a criação de codornas deve obedecer a um tipo específico de dieta. Contudo, de modo geral, podemos considerar que existe uma necessidade mínima de 25% de proteína bruta na composição destas rações.

Desta forma, leguminosas como a soja, representam uma das principais fontes de proteína da dieta.

No entanto, por ser uma commodity, tem seu preço regulado pelo mercado externo, o que em períodos de alta do dólar, pode representar um alto custo no fluxo de caixa para a atividade.

Conforme informações da Universidade Federal do Ceará, na criação de codornas para a produção de ovos, a alimentação das aves pode representar até 75% do custo de produção.

O mesmo estudo ainda estabelece que, as codornas de postura regulam o consumo de ração em função do nível de energia da dieta.

Além disso, a qualidade dos ovos de codorna é fortemente influenciada pelos níveis de Cálcio presentes na dieta.

Valores inferiores a 0,5% de Ca influenciam negativamente, aumentando o número de ovos quebrados, enquanto, valores superiores a 2% de Ca proporcionam melhoria na produção e peso dos ovos, bem como na qualidade da casca.

Manejo reprodutivo das codornas

Para manter a estabilidade da criação de codornas e evitar o viés da endogamia dentro do plantel, o manejo reprodutivo das aves deve ser realizado com cautela. Em outras palavras, devido à grande sensibilidade das codornas à consanguinidade, recomenda-se evitar os cruzamentos entre parentes próximos.

Sendo assim, a criação de codornas deve prever a manutenção de machos e fêmeas em gaiolas coletivas. Mesmo assim, recomenda-se que o macho precise ser trocado de lugar com o macho do abrigo vizinho e assim sucessivamente. A proporção de aves deve ser 1 macho para cada no mínimo 3 fêmeas.

Durante a criação de codornas, quando se opta por produzir localmente os animais para postura ou corte, deve-se dar preferência pela incubação artificial dos ovos. O manejo das codornas recém nascidas é muito semelhante ao dos pintinhos.

Desta forma, nos primeiros dias vida os animais necessitam de aquecimento (38 ºC), luz 24 h por dia, ração e água à vontade. Nos dias subsequentes, deve-se reduzir diariamente 1 ºC e atentar a limpeza do ambiente.

O ideal é que, a assepsia do ambiente seja realizado, no mínimo, duas vezes ao dia. Além disso, os locais destinados aos bebedouros e comedouros devem ser limpos e a água e a ração trocadas, com a mesma frequência.

Estes cuidados, proporcionam uma maior segurança sanitária para a criação de codornas.

Cuidados sanitário necessários para a criação de codornas

Assim como todos os processos produtivos que envolvem animais, a criação de codornas necessita de cuidados adequados para prevenir problemas fitossanitários. A limpeza dos locais destinados a criação de codornas deve ser uma atividade corriqueira.

Por isso, assim como as galinhas caipiras, as codornas estão suscetíveis a infecções por parasitas. Especialmente, micro-organismos que rapidamente se espalham pelas gaiolas, uma vez que, ficam localizadas lado a lado umas das outras. Pondo em risco todo o sistema produtivo.

Sendo assim, durante a criação de codornas as gaiolas devem ser limpas de duas a três vezes ao dia. Bem como o ambiente em que elas estão alojadas.

Além disso, todos os equipamentos e utensílios utilizados na criação de codornas devem ser minunciosamente limpos para evitar ao máximo o risco de infecções.

A fim de monitorar a saúde das aves, uma atividade preventiva resume-se na observação criteriosa da plumagem e pernas das aves. Ao menor sinal de qualquer ferida ou modificação perceptível na aparência, coloração das aves, deve-se separar o animal sintomático dos demais.

Especialista recomendam que, para evitar esse tipo de problema na criação de codornas, pode-se adicionar terramicina ou quemiciticina solúvel em água, três dias durante um mês, como método preventivo.

Caso as medidas de higiene não sejam atendidas, diversas doenças podem acometer a criação de codornas, como por exemplo:

  • Aflatoxicose
  • Apantotenose
  • Arriboflavinose
  • Aspergilose
  • Bouba ou epitelioma contagioso
  • Bronquite infecciosa
  • Candidíase
  • Coccidiose ou Eimeriose
  • Colibacilose
  • Difteria
  • Doença Quail
  • Doença de Newcastle
  • Coriza
  • Encefalomielite
  • Infecção por estafilococos
  • Moniliase
  • Paratifo
  • Síndrome de Proteus
  • Tetramerose

Uma opção interessante, para criação de codornas com um grande número de aves é optar pela vacinação. Atualmente, existe no mercado brasileiro um conjunto de vacinas que podem ser ofertadas ainda nos primeiros dias de vida das aves, para evitar a infecção por doenças.

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

JUNTE-SE A MAIS DE 15.000 PROFISSIONAIS
Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos

E-book empreendedorismo para profissionais do Agronegócio
E-book empreendedorismo para profissionais do Agronegócio